terça-feira, 18 de setembro de 2012

Não vale a pena ser professor

Nossa rotina diária é procurar, dentro do escasso tempo livre, se manter atualizado em todas as áreas do conhecimento, seja ela de qual for e a tarefa se torna obrigatória quando você interage com seu publico através das redes sociais. 

E foi nessa busca de informação que encontrei o edital para concurso público que tem como objetivo a contratação de professores para a Universidade da Integração Latino-americana em Foz, a Unila. Lendo o tal edital uma coisa me chamou a atenção e passei uma boa parte do tempo ontem pensando à respeito e só consegui, dentro de minha modesta capacidade de discernimento, concluir que é complicado a carreira de professor seja ela de que nível for pois se existe algo que deva ser aplicado como complicador a uma categoria, quem recebe tal "benefício" é o professor. 

 Acima mostro parte do edital e o salário proposto para a categoria nos anos iniciais, não de estudo que é constante, mas sim durante sua carreira na instituição.

Agora fica a questão, com titulação de Doutor, aqui em nossa cidade, vale a pena? 7,7 mil de salário sabendo-se que, com apenas o primeiro ano primário e tendo o perfeito domínio do nome e saber assinar, pode-se ganhar bem mais que isso, basta durante sua vida ser, digamos assim, líder comunitário ou algo do gênero. Sim, um  vereador na da cidade que abriga a sede da instituição de ensino paga a bagatela de R$ 8.625,00 a partir da próxima legislatura.

O professor quando busca seus direitos junto ao empregador, leia-se governo, tem que partir para a greve como tem ocorrido no Brasil inteiro. No caso do vereador não, basta eles se unirem, escolher o percentual pretendido, colocar em votação entre eles mesmo e com metade mais um ocorre a mágica da legislação em causa própria.

Abordei aqui apenas a questão do vereador, deixei de lado deputados e afins, que além do salário, possuem verba para o bom desempenho do mandato que acaba sempre como reforço salarial, bastando para isso apresentar notas fiscais legais mas imorais.

Um professor, portador do honrado título de doutor, gasta praticamente um terço de sua vida dedicada aos estudos. Não é fácil obter tal qualificação profissional e quando se obtém recebe como recompensa do governo salários de tal magnitude.

O pior de tudo isso são os governantes alardearem por aí que nosso Brasil ou nossos municípios, caminham à passos largos rumo a excelência na educação, pergunto onde? como? quando?

O desequilíbrio na remuneração paga as categorias no Brasil é, sem dúvidas, a mais desequilibrada do mundo. O jovem de hoje, alicerce de nosso futuro e tendo nas mãos os meios de comunicação, chegam facilmente à conclusão que 20 anos na carteira escolar não tem muito valia não pois de duas uma, ou será mais um portador de diploma de bacharelado ou partirá para um cargo eletivo ou de assessoria, sem muitos esforços. E é por isso que não se vê tais pessoas participando de concurso público, pois tais concursos, seja em que área for, exige segundo grau completo. 

Um bom dia a todos

7 comentários:

  1. A tabuada não basta. Como não bastam funções hiperbólicas, variáveis complexas, orações subordinadas. Não bastam Euclides e sua geometria, não bastam as teorias. O professor deve ensinar ao aluno a arte de viver com dignidade, com amor, com liberdade.

    Não basta falar das guerras, das batalhas, das conquistas — tem que ensinar o aluno a conquistar-se primeiro a si próprio. Ensinar-lhe medir distâncias é pouco — necessário vencê-las. Não basta saber o nome dos rios, temos que fluir. Equações algébricas não resolvem tudo, antes é preciso resolver-se. Em vez das mentiras históricas, o professor deve ensinar as verdades, e o melhor modo de encontrá-las.
    (...)
    Continua no link.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o amigo blogueiro! Professor é uma profissão em decadência, já que não existe vontade política para se resolver esta questão. Pode-se até sonhar com uma possibilidade remota de controle. Afinal se não sabemos o que queremos não saberemos o que pedir. Eita mundo complicado!

    ResponderExcluir
  3. Deus!!! Que tristeza. Não existe um ser profissional, de bem e culto sem um professor. Eu amo meus passados professores e amo e respeitos os professores atuais. isso é uma vergonha. Para mostrar o bumbum, os peitos, jogar bola ficam milionários. Fala sério! Onde vamos parar? Minhas mais profundas solidariedades, Professores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Kika...Hoje estou vivendo um daqueles dias em que me pergunto?
      Vale a pena?Será que vale a pena? O descaso é total, o salário uma infâmia!
      Uma ofensa! É bom ouvir quem nos defende...Obrigada!

      Excluir
  4. E se forem falar dos professores categoria O do Estado de São Paulo, a situação é muito mais complicada ainda....Tremendo desrespeito...

    ResponderExcluir
  5. Sou professora de Língua Portuguesa da Rede Municipal da minha cidade e estou muito desmotivada... Com certeza já estou traçando novos rumos para minha carreira, não ficarei mais muito tempo no Magistério, e as razões são inúmeras. Triste...

    ResponderExcluir
  6. Ai um fdp canta qualquer merda de funk e fica rico, e um professor que é a profissão mais importante para forma uma boa sociedade é tratado com descaso ... Brasil precisa melhorar e muito :/

    ResponderExcluir

Seja bem vindo e fique a vontade em comentar, mas seja educado, tá?